O preço de uma sentença

O preço de uma sentença

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Quem cala, consente

Caros leitores,

Em 03 de maio de 2016, os desembargadores Flavio Batista Leite, Karin Emmerich e Wnaderley Salgado Paiva, anularam sentença condenatória dos assassinos do meu filho, alegando que eles tinham direito à juri popular. O crime praticado foi retirada ilegal de órgãos causando a morte da vítima (no caso meu filho de 10 anos) e não homicídio, como sugere o trio maravilha.

Eu soube que Flavio Batista Leite, o relator da anulação, recebeu 500 mil reais da máfia para anular a sentença. Denunciei em vídeo, no meu blog e também ao CNJ. Como sempre, as denuncias são ignoradas. Eles estão protegendo a máfia.


Já faz 5 meses que fiz estas denuncias e nenhum dos denunciados me processou, o que significa dizer que eles sabem que não podem me processar, pois eu posso provar o que estou dizendo.

Quem cala, consente.

Se eu fosse processado, seria a única forma de levar a corrupção para o banco dos réus, e como eles não querem isso, são obrigados a silenciar. Este é o Brasil.

domingo, 18 de setembro de 2016

Novo site quase pronto.

Caros leitores deste blog. 

Está quase pronto o blog da Máfia do tráfico de órgãos. Todos os envolvidos terão uma página específica e atualizada sobre sua participação na máfia e o que faz na atualidade. Para conhecer um pouco sobre cada personagem, bastará clicar na imagem e ter acesso a informação sobre cada marginal e sua participação direta ou indireta nos crimes praticados pela máfia.

O material envolve vídeos, documentos, áudios, e depoimentos referentes a cada personagem. Por ser um vasto material, preciso de um bom tempo para concluir a edição. Mas prometo que ainda este ano estará públicado na íntegra.


Rosana Reis Nothen: A máfia é mais forte do que nunca!

Caros leitores. O Brasil é o país da impunidade, e todo mundo sabe. Mas o que poucos sabem é que o Brasil é o país que não só concede a impunidade, como também concede a chance da pessoa voltar a cometer crimes.

O personagem de hoje é Rosana Reis Nothen, atual coordenadora do SNT - SISTEMA NACIONAL DE TRANSPLANTES no governo brasileiro. Ela é responsável por TODO o SISTEMA DE TRANSPLANTES NO BRASIL, e também assumiu a coordenação geral de sangue e hemoderivados.

Em meu livro, relato tudo sobre esta desqualificada que faz parte de uma grande máfia de tráfico de órgãos. Este é apenas um trecho:
Alguns minutos depois de falar com ele, recebi outro telefonema. Desta vez, da Sra. Rosana Reis Nothen, Coordenadora do Sistema Nacional de Transplantes, do Ministério da Saúde. Bastante grosseira e arrogante, dizia-se a maior autoridade dos transplantes no país e que estranhava o fato de não ter sido informada sobre o que estava acontecendo. Da forma como falou comigo, parecia que eu havia cometido um crime. Surpreendentemente, ela havia recebido minha denúncia naquele exato momento e não antes, como afirmara Sr. Henry. Nothen negou que a ABTO tivesse comunicado o fato há oito dias. Pedi, então, que enviasse um documento confirmando o fato.
Rosana me atacou duramente, por eu ter denunciado a máfia. Não satisfeita, escreveu uma carta à José Serra onde fez uma forte defesa aos assassinos e humilhando a nossa família. José Serra a exonerou após o relatório feito pela vagabunda.

Mas o tempo passa, os assassinos escapam e Rosana volta ao posto para garantir as ações da máfia. Ela tem relações muito próximas com a ABTO que é o maior centro de tráfico de órgãos no Brasil.

Rosana Reis Nothen, é um membro da máfia de tráfico de órgãos (e quem sabe sangue) do Brasil e também é a prova que no Brasil é possível você cair, se livrar das responsabilidades e ainda voltar para o posto em que fez merda.

terça-feira, 13 de setembro de 2016

E no TJMG? também pode?

Se os assassinos do meu filho frequentam os gabinetes de desembargadores mineiros e até compram sentenças, por que Lula não poderia ir ao STF? 


Faltou as espadinhas no TJMG para receber Mosconi.